Debbie Corrano
Quer conhecer, ler, ser e viver um milhão de coisas ao mesmo tempo.

Instagram

Sobre espontaneidade, traição e exigências.

08/02/2011

Existem algumas coisas nesse mundo que não deveriam ser cobradas em um relacionamento porque não fazem o menor sentido se não forem espontâneas. Para mim, exclusividade de parceiros é uma delas. Eu sou totalmente adepta da monogamia e, já tentei, mas não consegui viver em um relacionamento aberto. Só que não concordo com o modo que isso é mostrado e imposto nas relações.
Caso monogamia durante um relacionamento não fosse um pré requisito quase sempre obrigatório  – a palavra usada de modo errado aí é a fidelidade – os casais estariam muito mais preocupados em serem legais com o outro, procurando sempre deixar o parceiro satisfeito, feliz e entretido com o que tem ali, para que simplesmente não exista a vontade de envolver outras pessoas na soma. Quem está feliz e satisfeito não vai procurar outras pessoas, tanto num relacionamento exclusivo como em um relacionamento aberto. Fidelidade, usada dessa maneira, deveria ser algo que simplesmente acontece. Uma conseqüência. Não uma obrigação, uma cobrança. Isso faria com que as pessoas se esforçassem muito mais para manter aquele relacionamento uma coisa completa para ambos, e não por simples regras impostas por aí e que tomamos como certas.

Outra coisa é a preocupação. Se você cobrar quem você está para que ela se preocupe com seus sentimentos, pensamentos e idéias, isso não será orgânico. Logo, ela não vai estar realmente preocupada. Isso é um resultado óbvio, mas que é muito difícil de enxergar quando você quer que a pessoa se importe da mesma maneira que você. Se importar com o outro é uma coisa básica que deveria estar apenas embutida no relacionamento como um acontecimento natural, não uma exigência.
Se a pessoa não se importa, o amor não existe. Pode ser doloroso, mas é simples. Você não vai conseguir criar um sentimento pelo simples fato de estar cobrando atitudes que fazem parte dele. É muito difícil conseguir separar o que você recebe dos outros: Não sabemos mais se é o que a pessoa realmente quer te dar ou se  está recebendo porque a pessoa acaba se sentindo obrigada a tal.

Às vezes parece que ficamos tão cegos esperando atitudes que não dá nem tempo para parar e raciocinar: Isso não deveria acontecer naturalmente?
E isso responderia uma série de questões que criamos em cima dessa pessoa, caso não estivessemos apenas buscando uma maneira de mostrar para ela que dá sim para demonstrar mais. Demonstrar, às vezes, uma coisa que sequer existe, mas que você – e muitas vezes ela – cisma em acreditar.
Essa é uma das grandes merdas de existir tantas regras inventadas por aí para se relacionar com os outros.

Ele?

07/22/2011

Você diz que eu não sou mulher para ele e que devo te procurar quando decidir voltar a minha realidade. Eu não sou mulher pra ele? Ele quem? Qualquer um que não seja você?
Talvez eu seja mulher para ele e para muitos outros caras que eventualmente vão aparecer na minha vida. Eu escolho quem eu quero ser. Talvez a que seja sua não seja de mais ninguém, mas eu posso ser muito melhor que ela. E acho que ela sumiu por aí. De qualquer forma, você também não foi procurar.

Parando para pensar ele é mesmo totalmente diferente de você, e em um aspecto que eu não posso ignorar: Ele me quer. E, para falar a verdade, sabe que eu também? Eu me sinto bem quando as pessoas podem dar a mão para mim sem medo de querer soltar na hora de atravessar a rua.
Sabe, às vezes parece que você acha que eu vou ficar aqui sentada, pintando cadernos com meus lápis coloridos enquanto espero você passear por aí. E quando você cansar, é só sentar ao meu lado e puxar papo que eu já vou voltar correndo para os seus braços.

Me deram um mundo inteiro para pintar lá fora. Mas de verdade, sabe? Não aquele que você jura para mim ao telefone.

Diálogos Imaginários #8

07/17/2011

- Você nunca seria o que ele é para mim hoje.
- Eu sei, e eu sou muito mais feliz por saber que você finalmente encontrou alguém que te merece.
- Eu jamais imaginaria você dizendo isso. Você sempre foi tão egoísta, acho que finalmente você cresceu.
- Eu já fui egoísta, hoje em dia você não sabe o quanto eu penso nas pessoas que eu gosto.
- Eu nunca conseguiria imaginar.
- Enfim, eu só fico feliz de saber que ele te faz feliz hoje, de uma maneira que eu jamais poderia fazer.
- Você poderia, caso você quisesse. Há um bom tempo atrás.
- Eu sei disso, mas eu estava muito ocupado olhando para meu próprio umbigo e procurando realizar meus desejos individualistas. Mal sabia eu.
- De que?
- Que meu desejo na verdade era ter você.
- Seu desejo era me possuir. E possuir todas as mulheres do mundo, quando você quisesse. Queria que todas estivessem no poder de suas mãos.
- Mas sempre foi seu cheiro que eu quis sentir de manhã.

Pessoa do sexo masculino X Homem

07/15/2011

Fiquei pensando aqui qual o papel do homem no mundo hoje em dia e porque cada ser humano do sexo masculino deveria comemorar o Dia do Homem. Cheguei a conclusão que pouquíssimos tem realmente do que se orgulhar quando se auto intitulam como homens, o que vai muito além de apenas seu sexo. Vejo milhares de homens se orgulhando por pegar um monte de mulheres por aí, outros de ter os melhores bíceps da academia, mas o ponto crucial para um homem ser considerado como um homem de verdade, na minha visão, não tem a ver com esse tipo de escolha.

Homens que podem sim pegar um monte de mulheres mas são honestos com elas, porque não tem o que esconder e são machos o suficiente para assumir suas atitudes e desejos. Aguentar as conseqüências de seus atos sem precisar partir para a ignorância ou fugir como crianças medrosas. Homens que vão proteger sua família sabendo que ela é a coisa mais importante de suas vidas e escancarar isso para o mundo sem medo de serem chamados de mulherzinhas. Homens que não tem medo de assumir que tem sentimentos e vão dar a mão para sua mãe descer do carro e pedir a benção antes de sair.

Apesar dos metrossexuais, homossexuais, machões e qualquer outra denominação que as pessoas podem criar, acima de tudo, homens precisam agir como homens. Não são pelos no peito, barba por fazer, braços definidos e um sorriso de cafajeste que fazem um homem realmente ser um homem. São suas atitudes. Não é o que você quer parecer, mas sim o que você é.

Espero que o Dia do Homem sirva para que as pessoas do sexo masculino repensem se suas atitudes estão mesmo sendo dignas de homens de verdade. Porque enganar a namorada e sair escondido, pegar um monte de menininhas na balada, ter o melhor tanquinho do bairro e dirigir seu carro turbinado não te faz um homem de verdade. Quero ver ser honesto, assumir seus erros, cuidar de uma família, ser cavalheiro, conquistar todos os dias a pessoa que você ama, dar orgulho aos seus pais e não esquecer de quem você realmente é. Para mim, isso sim é ser homem.

Diálogos Imaginários #7

07/14/2011

- Você tem tantas cicatrizes pelo corpo, o que aconteceu?
- Vamos dizer que eu não faço muita questão de me proteger.
- Por que não? Você sabe que essas marcas não vão sair nunca mais, né?
- Eu sei, e gosto disso. Cicatrizes mostram que você aprendeu.
- Ou que você se machucou.
- Sempre que você se machuca, significa que você aprendeu alguma coisa. Eu adoro essas provas marcadas em minha pele.
- Então suas cicatrizes são de aprendizado?
- As pessoas enxergam cicatrizes como uma situação ruim que ficará estampada para sempre em nosso corpo. Eu concordo em partes, porque para mim não existem situações ruins. Existe sofrimento, mas ele sempre será positivo, um dia ou outro. Não existe dor sem aprendizado, e é isso que vale no final. As cicatrizes são apenas para você lembrar do quanto cresceu. É como um livro.
- E para você não existe maneiras de escrever um livro sem sofrimento?
- Procure os maiores autores da humanidade e veja que todos eles escreveram sobre uma dor. Ela inspira e faz você pensar. Mais do que isso, lembra que você tem sentimentos e faz você sentir cada um deles.
- Eu prefiro trocar os meus pensamentos por uma vida sem dor.
- É uma bela escolha.

Diálogos Imaginários #6

07/14/2011

- Por que precisa ser assim, tão dolorido, tão complicado, cheio de mudanças e testes com nós dois?
- Eu acho que é só o caminho que nós traçamos. Escolhemos estar aqui agora e essa é a vida que optamos.
- Eu não escolheria isso.
- Você não sabia. E acho que nem eu.
- Por que não pode ser simplesmente ficar juntos e pronto?
- Se fosse apenas isso, eu não ia querer. Essas coisas fáceis não me atraem.
- Então a culpa talvez seja sua.
- Isso inclui você.

Diálogos Imaginários #5

07/14/2011

- Eu não vou parar de dar cabeçadas no muro até descobrir o que vai me completar.
- Existem maneiras muito mais fáceis de descobrir o que te preenche sem precisar sangrar.
- Esse é o mal do mundo. Ninguém quer se machucar, ninguém quer lutar. Eu não vou me acomodar no conforto da minha casa e esperar parte do meu coração simplesmente cair no meu colo.
- Desse jeito, você vai cansar antes mesmo de encontrar alguma coisa.
- Ao menos eu estou procurando. Prefiro aceitar que sou humano e vou errar e acertar milhares de vezes nessa vida que ficar guardado no meu casco de vidro com medo de enfrentar o que pode me destruir.
- Na teoria, isso é muito honroso da sua parte. Mas você vai abrir cortes na cabeça, marcar todas as paredes desse mundo com sangue e ainda vai assustar milhares de pessoas com sua teimosia.
- Vou assustar e afastar muitas pessoas, além de machucar algumas que vão se deixar levar por mim e tentar dar cabeçadas nas paredes também. Mas algumas vão ficar e se sentirem tão vivas quanto eu, procurando ao invés de se proteger.
- Ao menos avise-as que elas podem se machucar.
- Ninguém ouve os outros, só a si mesmo. E machucados não fazem mal a ninguém.
- De novo essa história?
- Escuta, eu posso dar de cabeça em quase todas as situações da minha vida, e talvez esteja errado em muitas delas. Mas eu prefiro arriscar, eu prefiro ser errado a não ser nada. As pessoas não vão atrás das coisas simplesmente porque elas tem medo de parecerem ridículas, caírem em contradição, mudarem seu jeito de pensar e o que querem. Eu prefiro encontrar outros muros para dar de cara eventualmente. Isso, às vezes, pode machucar os outros, mas dói muito mais em mim. As pessoas estão lá porque querem. Isso é o que me deixa vivo. Se eu parar e me proteger vou largar mão de buscar a minha felicidade, pelo caminho errado e também pelo caminho certo.
- Acho que se todos parassem de se preocupar com os próprios machucados e com o que os outros vão achar disso, seria mais simples encontrar pessoas como você, meu amigo. O medo de não ser aceito destrói qualquer chance das pessoas serem felizes.
- Eu posso ir um pouco mais para o lado e te dar um pouco de muro, se você quiser.
- Obrigado.

Lembrança do que não aconteceu

06/22/2011

Eu sinto como cada passo que eu dou aqui ja aconteceu antes. Cada rua, cada monumento historico me é tao familiar que nao me surpreende como turista, mas me traz uma especie de lembranca de um momento que ja existiu. Em Londres me sinto encontrando um velho amigo. Me sinto sentada em um bar lembrando daquelas besteiras antigas que achavamos graça quando eramos jovens e propositalmente irresponsaveis.

É bizarro como o mundo conspirou para que o primeiro lugar do continente europeu que eu venha seja no Reino Unido, que me fascinava com a moda e as roupas dos pré adolescentes da mesma idade que eu, mas que viviam aqui. Eu cresci, mudei minha cabeça, nunca mais me interessei pela Inglaterra. Tanta coisa pra ver no mundo, Australia, Colombia, Texas, Montauk, New York, Tokyo… e de repente BUM. Estou aqui, vendo os pontos turisticos que me soam tao familiares dentro do país que eu sonhava aos meus 13 anos, só porque queria ser ainda mais estranha do que ja era.
E aqui, agora, quase 10 anos depois, me sinto absolutamente em casa, andando na rua como se vivesse aqui há anos.

Diálogos Imaginários #4

05/27/2011

- Você é daquele tipo de pessoas que dá vontade de segurar nos ombros e sacudir até o que estou falando entrar na sua cabeça.
- E nem assim entraria.
- Por que você não leva ninguém a sério?
- Eu levo todas as pessoas a sério, só não concordo com suas opiniões.
- Mas quando todas as pessoas tem a mesma opinião, e só você uma diferente, não está na hora de rever seus conceitos?
- Muito pelo contrário.
- Mas nós enxergamos de fora.
- Justamente por isso. É sobre mim que estamos falando, não há mais nada que eu saiba tão bem.
- E mesmo assim, você não sabe nada.
- Concordo. Só que minha especialidade é saber quem eu realmente sou.
- Sua visão é totalmente deturpada.
- Ou seria a de vocês?

Diálogos Imaginários #3

05/12/2011

- Volta, vai. Fica comigo de novo.
- Nós não somos o tipo de pessoas feitas para ficarem juntas, você sabe disso.
- Como não? Eu gosto de você, você não?
- Mas a gente gosta muito mais de nós mesmos, por trás de todas as odiosidades. Precisamos de alguém que tire todas elas, não que acrescente.
- Mas você é a melhor coisa que eu já tive.
- Não é porque eu sou a melhor coisa que você já teve que eu sou o que você deveria ter.
- Não deveria?
- Eu sou a melhor coisa que já te aconteceu porque você enxerga em meus acertos as coisas que seriam certas para você, não porque eu sou a pessoa feita para ficar ao seu lado.
- E enxergar o que há de bom em você não é o bastante?
- Nunca é o bastante quando você não está com a pessoa certa.

Newer Posts
Older Posts