She had an earthquake on her mind

02/11/2011

Muitas vezes as pessoas a sua volta que se importam com você estão tentando te ajudar apenas agindo apenas de boa fé, mas dentro de você aquilo se torna um furacão que ninguém consegue ver, só você consegue sentir. O medo, a insegurança, a incerteza do que pode acontecer só servem de combustível, até que você exploda. Existem coisas que nunca serão justificadas, mas cada pedaço do mundo te puxando para um lado diferente acaba em uma pressão física e psicológica que poucas pessoas conseguem sentir sem estourar. Eu não consigo.

Eu tenho um furacão todos os dias na minha cabeça e em meu coração, buscando saber o que é certo e o que é errado, o que eu devo ou não fazer ou deixar de fazer, de viver, e muitas vezes errando, como qualquer pessoa. É isso que faz a gente crescer. A sinceridade é o único atributo que eu posso ter independente do monstro de pensamentos que a minha cabeça tem hospedada. Essa aparência de sensata, independente e segura é apenas um jeito de afastar as pessoas que podem me machucar ou me assustam. Eu sou completamente dependente das pessoas e seres que eu amo, não consigo ficar sem elas. Elas são a minha base e eu não consigo viver sem cada uma delas. Eu surto, me perco, eu vou de mal a pior.

A pressão que cada uma delas pode fazer com você tem um tamanho absurdo, porque cada opinião conta muito e é essencial, e isso pode te enlouquecer. É por um bom motivo, não é proposital, mas acaba acontecendo. Cada um busca o que quer da pessoa que ama. Você quer que ela seja feliz, mas sempre vai achar que o seu jeito é o melhor caminho, e cada um mostra um local diferente e começa a te puxar, pedacinho por pedacinho, tentando te trazer pra uma zona de conforto que ela enxerga como segura. Todo mundo está tentando te proteger de um jeito diferente, e por mais que isso seja uma prova de amor, pode fazer você explodir.

A verdade é que eu tento parecer tão forte,  mas eu sou só uma criança chorando no escuro, com medo de algum monstro. Eu tenho medo do escuro, de me machucar, de arriscar e perder tudo. Eu não sou de ferro como as pessoas me vêem. Não sou confiante, não tenho a menor auto estima, eu sou completamente dependente das pessoas a minha volta.
Por mais que eu conte e mostre isso para as pessoas, ninguém acredita em mim porque eu aparento ser uma pessoa tão consciente, tão madura, só que não passo de apenas uma garotinha que precisa de atenção, amor e cuidados. Queria é ter a força que aparento ter. Eu sou só uma piveta.