A saga do bigode

08/15/2013

Hoje vou contar uma bela história para vocês:
Meu pai é italiano, nasceu na Itália e veio pra cá quando era pequeno, no colo da minha avó. A vida toda eu ouvi que sou italiana, porque sou filha de um e OH MEU DEUS ITALIANA MAMMA MIA MANGIARE MANGIARE. Nunca entendi o que minha vó fala e vira e mexe meu pai – que sabe meia duzia de palavras em italiano – fica me ensinando uns palavrões. Só que este meu digníssimo pai nunca me registrou no Consulado Italiano aqui no Brasil – nem eu e nem os meus irmãos – e quando eu fui pesquisar como tirar a minha dupla cidadania, já tinha 18 anos e teria que pegar a fila igual qualquer outro parente de italiano (seja filho ou o tatatataraneto.). Ok, né?
Entrei no site do consulado e a fila estava com espera básica de MARROMENOS 10 anos. O outro jeito era ir até a Itália, morar na cidade que meu pai nasceu e gastar dez mil reais para fazer o processo. Só que meu pai nasceu em um lugar que tem 7 mil habitantes. Sete mil pessoas. Acho que tem mais pessoas morando nos quatro quarteirões ao meu redor.

E lá estava eu pensando em como ia viver na pequena cidade de ninguém-vai-saber-onde-é-e-nem-internet-deve-ter, porque apesar de tudo isso, eu estava determinada a usufruir dos benefícios da minha ascendência. Pesquisei por meses, desisti umas 10 vezes, mas continuei querendo a minha dupla cidadania.

Num dia qualquer lembrei que meu avô por parte de mãe nasceu em Portugal. Só meu avô, que também acabou no Brasil. Minha vó nasceu no Brás mesmo. Só que vish, imagina só? Nem ele nem a minha vó tinham registrado o casamento em Portugal, menos ainda o nascimento da minha mãe e eu não fazia ideia de onde estava a certidão de nascimento do meu avô…uma zona. Parecia mais difícil que a italiana, se é que isso era possível. Mas eu fui dar uma fuçada, né?

E aí eu descobri que o Consulado de Portugal é um lugar maravilhoso.
O site tem informações atualizadas, o layout é bonito (sério, o da Itália é ridículo), eles te informam direitinho por telefone e a cidadania sai ridiculamente rápido.
Agilizei os documentos e mesmo depois do meu pai me empacar DE NOVO com a certidão de nascimento dele (já que eu precisava de uma atual e só consigo pedir na cidade por CARTA, que vai de TREM, não tem rastreio nenhum e dizem que muitas vezes nem volta), enviei tudo que precisava por sedex na terça feira. Nessa terça feira agora. Hoje (hoje!!!) eles me mandaram um email (MEU DEUS! ELES USAM EMAILS! <3 <3 <3) me pedindo para agendar no site (meu deus! no site! o site é útil assim?!) uma visita ao Consulado para resolver os últimos detalhes, porque os documentos já foram aceitos. De ontem pra hoje. E em mais ou menos dois meses eu e minha mãe teremos a cidadania européia por vias portuguesas (ela já tem a italiana por atribuição, direto do meu pai, mas whatever). Falem o que quiser de lá, do meu sangue italiano, da minha quase falta de sangue português, façam piadas de padeiros, mas eu nunca estive lá e já amo Portugal.

Moral da história: NUNCA FIQUEI TÃO FELIZ DE SER MEIO BIGODUDA.

Brinks.