A cultura do inquilino e eu

08/28/2012

Eu já mudei de quarto três vezes dentro da minha própria casa. No meu atual, que era da minha irmã até ela casar, todas as coisas continuam mais ou menos do jeito que ela deixou. Eu coloquei os poucos objetos de decoração que tinha, mas os móveis são exatamente os mesmos.

Minha irmã saiu de casa faz uns quatro anos, mais ou menos quando eu comecei a faculdade. Nessa época, eu já trabalhava e estudava, saia de casa às 8h da manhã e só chegava quase meia noite aqui. Por isso, nunca me preocupei muito com a decoração do meu quarto, já que quase não ficava nele.

Esse ano, faculdade terminada, já estava bem incomodada com essa falta de personalidade que ele passa e, quando voltei de viagem, vi um espaço completamente adaptável a qualquer pessoa. Parece que eu nem vivi aqui até hoje. Desde então estou estudando mudanças que caibam no bolso de uma pobre ex viajante.

Hoje, visitando um blog de interiores, encontrei um post falando sobre a Cultura do Inquilino, que é basicamente o que eu criei dentro da minha própria casa. No final, todos nós estamos esperando mudanças. De casa, de móveis, de ideia.
Eu nunca me importei tanto assim com o ambiente que eu vivo passar a minha personalidade porque sempre tive esse pensamento de que alguma coisa iria mudar, e então eu iria atrás de uma decoração bacana.

É assim que a cultura do inquilino age com muitos de nós: estamos sempre de saída. Você não tem tempo para transformar o lugar que vive ou imagina que em breve vai sair de lá. E, na verdade, isso não importa. Cada dia nesse ambiente vai refletir no seu bem estar, criatividade, ânimo… o ambiente faz grande parte disso. Sabe aquela barrinha do The Sims, que dava pontos pela decoração e iluminação? Então.

Da série: Ambientes que acho lindo